7.6.12

MANJERICÃO ou BASÍLICO (Ocimum basilicum): UMA EXPLOSÃO DE SABORES E VANTAGENS MEDICINAIS!


COLEÇÃO SUPER ALIMENTOS ERVAS AROMÁTICAS Nº 2

MANJERICÃO ou BASÍLICO (Ocimum basilicum): UMA EXPLOSÃO DE SABORES E VANTAGENS MEDICINAIS!
“CONHECIDO POR AUMENTAR O SABOR DOS PRATOS, DIVERSOS ESTUDOS APONTAM QUE ESTA ERVA CONSUMIDA DIARIAMENTE, TAMBÉM PROMOVE AÇÕES ANTI-INFLAMATÓRIAS, ANTI-BACTERICIDAS, ANTI-ENVELHECIMENTO; AUXILIA NO COMBATE AO DIABETES, AO STRESS E NA ARTRITE REUMATÓIDE, TORNANDO-SE UM PODEROSO ALIADO DA BOA SAÚDE!”

De uma riqueza de nutrientes, como a enorme quantidade de vitamina K e cálcio, aos seus óleos antioxidantes, o manjericão oferece uma variedade de benefícios para a saúde. Entre eles destacam-se o ataque aos danos ao DNA e o combate ao stress.
 Além disso, semelhante as folhas de hortelã-pimenta, o manjericão é rico em beta-cariofileno, um composto anti-inflamatório que pode tratar doenças como a artrite reumatóide e inflamações do intestino. Usada há milhares de anos, atualmente nota-se uma abundância de evidências científicas para apoiar a reputação do Basílio como uma erva com propriedades medicinais.

HISTÓRIA

O manjericão é uma planta  herbácea,  aromática e medicinal, conhecida desde a antiguidade pelos indianos, gregos, egípcios e romanos. Ele é dotado também de vasta cultura espiritual e simbolismos, sendo, inclusive, considerado sagrado entre alguns povos hindus, por representar Tulasi, esposa do deus Vishnu. Está relacionado com sentimentos de ódio, amor e luto, mas com certeza é mais amplamente conhecido pelos seus poderes culinários. Do grego, Basílico significa real e possui mais de 60 variedades desta potente erva, diferenciando-se pelo formato e tamanho da folha.

BENEFÍCIOS

PROTETOR DO DNA
Um dos maiores benefícios do manjericão é a sua habilidade em proteger o DNA, a grande reserva de informação genética do corpo. O DNA é guardado em pequenas unidades funcionais chamadas cromossomas. As cromossomas podem se danificar em contato com a radiação, produzindo radicais livres, conhecidos por serem espécies reativas ao oxigénio, que alteram o material genético dentro das células e causam mutações que favorecem a produção e crescimento de cancro no organismo.
Dois tipos de flavonóides solúveis em água, a orientina e a vicenina, presentes no manjericão, podem promover proteção contra radicação a nível celular. Num estudo publicado no journal Radiation Research (jornal pesquisa de radiação), ratos receberam orientina ou vicenina antes de serem expostos a radiação nas células da medula óssea. Os cientistas concluíram que ambos os flavonóides reduziram significativamente os danos aos cromossomas por suas propriedades antioxidantes.

ANTI-BACTERICIDA
Numerosos estudos mostram que o manjericão possui propriedades capazes de inibir o crescimento de bactérias patogénicas.
Este efeito anti-bactericida é atributo dos óleos essenciais presentes no manjericão, entre eles incluem-se: ácido rosmarínico, eugenol, linalol, estragol, eugenol, metil chavikol e ácido oleonólico. Num estudo feito por cientisitas Iranianos, o óleo essencial de basílico mostrou em testes laboratoriais ser capaz de retardar o crescimento das bactérias nocivas: Staphilococcus aureus, Bacillus cereus e Escherichia coli.
                Ainda mais o ácido rosmarínico mostrou ter propriedades efetivas em restringir o crescimento da bactéria Pseudomonas aeruginosa, associada à infecções de pulmão, de acordo com a pesquisa apresentada pelo journal Plant Physiology and Biochemistry.
                Algumas espécies de bactérias se tornam resistentes a muitas drogas como antibióticos, tornando-se mais difíceis de tratar. Pesquisadores Búlgaros descobriram que algumas espécies de bactérias resistentes como Enterococcus,  Pseudomonas e Staphilococcus, todas foram inibidas quando expostas ao óleo essencial de basílico.

BENEFÍCIOS CARDIOVASCULARES
                Pelo seu alto poder antioxidante, pesquisadores encontraram no manjericão um grande protetor da saúde do coração. Num recente estudo plubicado no journal OxidativeMedicine and Cellular Longevity, cientistas dividiram ratos em 3 grupos por 7 semanas: grupo 1: uma dieta rica em colesterol, grupo 2: dieta rica em colesterol mais extrato de folhas de manjericão e um 3º grupo de controlo recebeu apenas uma dieta normal. Os resultados mostraram que o extrato de folhas do manjericão preveniu o desenvolvimento do alto colesterol total e colesterol LDL nos ratos alimentados com uma dieta rica em colesterol. Os cientistas concluíram que o extrato da folha do manjericão aumenta o uso do colesterol para a produção de ácidos da bile, fazendo com que se acumule menos no fígado e assim resulte no alto colesterol.
                Um outro estudo sugere ainda que a erva também pode baixar a tensão arterial, um potente fator de risco para o desenvolvimento de doença cardiovascular e ataque cardíaco. Pesquisadores Chineses descobriram que ratos hipertensos alimentados com extrato de folhas de manjericão diariamente pos 4 semanas, tiveram a redução da pressão sistólica para 20 mmHg e a diastólica para 15 mmHg (valores padrões ideais).
Como o manjericão é uma rica fonte tanto de magnésio como de beta-caroteno, são nutrientes chaves no suporte cardiovascular. O aumento de magnésio na dieta tem sido associado com baixos níveis de inflamação e disfunção endotelial, de acordo com um estudo revisto no American Journal of ClinicalNutrition.
Pesquisadores na Holanda no National Institute for Public Health andthe Environment (RIVM) avaliaram uma relação no consumo entre os carotenóides, tocoferol e vitamina C e a morte por problemas cardiovasculares em homens de 65 anos ou mais, por um período de mais de 15 anos. Os cientistas concluíram que um aumento da ingestão de carotenóides reduziu mortalidade por doenças cardíacas em 20% .


STRESS, ANSIEDADE E SISTEMA IMUNITÁRIO
Embora o stress agudo seja parte normal da vida, o stress crónico e seus distúrbios relacionados, tais como a ansiedade, podem desencadear alterações na resposta do sistema imunitário, inibindo-o.
O manjericão mostrou habilidades em aliviar o stress, de acordo com um estudo publicado no journal Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine. Os cientistas examinaram os efeitos do extrato de manjericão nos sintomas de stress em 158 homens e mulheres. Os pacientes receberam um placebo ou 1200 mg de extrato de manjericão por 6 semanas. No final do estudo, o grupo que recebeu o tratamento mostrou redução de até 39% nos sintomas de stress, como problemas de sono, cansaço e esquecimento e 87,5% relataram melhoras nos problemas sexuais ligados ao stress.
Outro estudo conduzido por cientistas Indianos, revelaram que 35 pessoas com ansiedade que tomaram 1000 mg de extrato de manjericão por 60 dias reduziram a ansiedade em 34,2% e o stress em 27,5%. O extrato da folha do manjericão possui um impacto positivo na regulação no eixo hipotálamo-hipófise-supra-renais (eixo HHA), o sistema que controla a reação do corpo ao stress.
O Manjericão também modula diretamente o sistema imunitário. Pesquisadores do All India Institute of Medical Sciences in New Delhi, na Índia forneceram à 22 homens e mulheres placebo ou 300 mg do extrato da folha do manjericão por 4 semanas. Os participantes que consumiram o manjericão possuíam, em relação ao grupo placebo, melhoras em todos os parâmetros imunológicos: a interleucina-4 e glóbulos brancos (células-T, o exército de defesa do corpo).

FINTAR O DIABETES
Em qualquer plano no controlo das diabetes, um dos pontos fundamentais é a regulação do açúcar no sangue. Num estudo de 4 semanas, conduzido por Azad University of Agriculture and Technology in Kanpur, Índia, 40 pacientes com diabetes tipo 2, receberam placebo ou 2,4 gramas de pó seco de folhas de manjericão. No final das 4 semanas, o grupo de tratamento apresentou redução de 17,6% nos níveis de glicose em jejum e 7,3% nos níveis de glicose após as refeições.
É provável que um dos possíveis mecanismos para o efeito do manjericão na queda da glicose, seja o ácido ursólico, que tem demonstrado inibir a alfa-glucosidase, substância que reduz a absorção da glicose pelo intestino delgado e preveni que ela suba no sangue. Além disso, o ácido ursólico, também apresenta propriedades protetoras do coração e proteção anti-cancro.

COMBATER A ARTRITE COM SABOR
Enquanto existem milhares de compostos nos óleos essenciais do manjericão, o eugenol demonstra o maior potencial para ajudar no combate a artrite. Ele demonstra uma habilidade em diminuir a atividade da ciclo-oxigenase (COX), uma enzima que diminui a produção de células pró-inflamatório.
Um estudo promovido pela University of Science Malaysia in Kelantan, na Malasia, aponta para os benefícios do eugenol no combate à artrite. Os cientistas induziram a artrite na pata direita e joelhos de ratos, resultando num aumento da inflamação e inchaço. Depois de 26 dias de toma de óleo de rico em eugenol e gengibre, observou-se significante redução do inchaço tanto na pata como no joelho.

SELECIONE BEM O MANJERICÃO

 1. Escolha manjericão fresco, ao invés do seco, quando quiser um sabor mais intenso.
2. Escolha folhas de aparência fresca e brilhante.
 3. Evite folhas com manchas escuras, cortes, rasgos ou amarelados.
4. Guarde manjericão fresco no frigorífico.
5. Ao escolher manjericão seco, selecione a versão orgânica e armazenar em um local fresco e seco durante seis meses.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
1. Available at: http://www.whfoods.com/genpage.php?tname=foodspice&dbid=85. Accessed January 31, 2012.
2. Gertsch J, Leonti M, Raduner S, et al. Beta-caryophyllene is a dietary cannabinoid. PNAS. 2008 June; 105(26): 9099-104.
3. Available at: http://www.ienica.net/marketdatasheets/essentialoilsmdssmall.pdf. Accessed January 31, 2012.
4 Greenman C, Stephens P, Smith R, et al. Patterns of somatic mutation in human cancer genomes. Nature. 2007 Mar; 446(1732): 153-8.
5. Nayak V, Devi PU. Protection of mouse bone marrow against radiation-induced chromosome damage and stem cell death by the ocimum flavonoids orientin and vicenin. Radiat Res. 2005 Feb; 163(2): 165-71.
6. Moghaddam AMD, Shayegh J, Mikaili P, Sharaf JD. Antimicrobial activity of essential oil extract of Ocimum basilicum L. leaves on a variety of pathogenic bacteria. J Med Plant Res. 2011 Aug; 5(15):3453-6.
7. Bais HP, Walker TS, Schweizer, Vivanco JM. Root specific elicitation and antimicrobial activity of rosmarinic acid in hairy root cultures of Ocimum basilicum. Plant Physiol Biochem. 2002 Apr; 40(11):983-95.
8. Opalchenova G, Obreshkova D. Comparative studies on the activity of basil-an essential oil from Ocimum basilicum L.-againist multidrug resistant clinical isolates of the genera Staphylococcus, Enterococcus and Pseudomonas by using different test methods. J Microbiol Methods. 2003 Jul; 54(1):105-10.
9. Suanarunsawat T, Ayutthaya WD, Songsak T, Thirawarapan S, Poungshompoo S. Lipid-lowering and antioxidative activities of aqueous extracts of Ocimum sanctum L. leaves in rats fed with a high-cholesterol diet. Oxid Med Cell Longev. 2011 Jul; 2011: 962025.
10. Umar A, Imam G, Yimin W, et al. Antihypertensive effects of Ocimum basilicum L. (OBL) on blood pressure in renovascular hypertensive rats. Hypertens Res. 2010 Jul; 33(7):727-30.
11. Bo S, Pisu E. Role of magnesium in cardiovascular disease prevention, insulin sensitivity and diabetes. Curr Opin Lipidol. 2008 Feb; 19(1):50-6.
12. Buijsse B, Feskens E, Kwape L, Kok FJ, Kromhout D. Both alpha-and beta-Carotene, but not tocopherols and vitamin C, are inversely related to 15-year cardiovascular mortality in Dutch elderly men. J Nutr. 2008 Feb; 138(2):344-50.
13. Gouin JP, Hantsoo L, Kiecolt-Glaser JK. Chronic stress, immune dysregulation, and health among older results: a review. Am J of Lifestyle Med. 2011 Jan; 5(6): 476-85.
14. Saxena RC, Singh R, Kumar P, et al. Efficacy of an extract of Ocimum tenuiflorum (Ocibest) in the management of general stress: a double blind, placebo-controlled study. Evid Based Complement Alternat Med. 2011 Jul; 2012: 894509.
15. Bhattacharyya D, Sur TK, Jana U, Debnath PK. Controlled programmed trial of Ocimum sanctum leaf on generalized anxiety disorders. Nepal Med Coll J. 2008 Sept; 10(3):176-9.
16. Mondal S, Varma S, Bamola VD, et al. Double-blinded randomized controlled trial for immunomodulatory effects of Tulsi (Ocimum sanctum Linn.) leaf extract on healthy volunteers. J Ethnopharmacol. 2011 Jul; 136(3):452-6.
17. Agrawal P, Rai V, Singh RB. Randomized placebo-controlled, single blind trial of holy basil leaves in patients with noninsulin-dependent diabetes mellitus. Int J Clin Pharmacol Ther. 1996 Sept; 34(9):406-9.
18. Benalla W, Bellahcen S, Bnouham M. Antidiabetic medicinal plants as a source of alpha glucosidase inhibitors. Curr Diabetes Rev. 2010 Jul; 6(4):247-54.
19. Kelm MA, Nair MG, Strasburg GM, Dewitt DL. Antioxidant and cyclooxygenase inhibitory phenolic compounds from Ocimum sanctum Linn. Phytomedicine. 2000 Mar; 7(1):7-13.
20. Sharma JN, Srivastava KC, Gan EK. Suppressive effects of eugenol and ginger oil on arthritic rats. Pharmacology. 1994 Nov; 49(5):314-8.
21. Available at: http://www.food.com/recipe/la-madeleines-tomato-basil-soup-5368. Accessed February 6, 2012.
21. Available at: http://www.food.com/recipe/la-madeleines-tomato-basil-soup-5368. Accessed February 6, 2012.
22. Available at: http://www.lef.org/magazine/mag2012/may2012_Superfoods-Basil_01.htm?source=search&key=basil. Accessed June 7, 2012.
23. Available at:http://www.lef.org/magazine/mag2012/jun2012_New-Reason-Avoid-Stress_01.htm?source=search&key=basil. Accessed June 7,  2012.